Permissões de acesso a arquivos e diretórios

De Wiki Cursos IFPR Foz
Ir para navegação Ir para pesquisar

Permissões de acesso a arquivos e diretórios

As permissões de acesso a arquivos e diretórios permitem protejer o sistema de arquivos do Linux do acesso indevido por pessoas ou programas não autorizados.

O princípio da segurança está baseado no conceito de usuário, grupo e outros usuários. Um arquivo ou diretório sempre possui um usuário que é o seu dono (owner).

O grupo (group) permite atribuir permissões de acesso a arquivos e diretórios comuns a um grupo de usuários.

Os outros são usuários que não são donos nem pertencem ao grupo do arquivo ou diretório.

As permissões podem do tipo:

  • Leitura (Read) para arquivos, ou no caso de diretório listar seu conteúdo (por exemplo com ls);
  • Escrita (Write) no arquivo, ou no caso de diretório a criação de arquivos ou sub-diretórios dentro dele;
  • Execução (eXec) de arquivo (caso seja executável) ou de entrar para dentro do diretório (por exemplo com cd).

Exibição das permissões de acesso

Comando ls -l
Quando executamos este comando em um diretório qualquer, os arquivos e sub-diretórios são listados com as permissões de acesso correspondentes. Por exemplo:
evandro@evandro-HP:~/AulasIFPR$ ls -l
total 20
-rw-r-----  1 evandro professores   46744 Fev 18  2013 Modelo-PlanoEnsino.odt
drwxr-x---  3 evandro professores    4096 Jun 11 16:15 TADS-AdministracaoServidores
As colunas que aparecem na listagem são:
  1. Esquema de permissões (-rw-r-----);
  2. Número de ligações do arquivo ou diretório (ou número de inodes);
  3. Dono do arquivo;
  4. Grupo do dono do arquivo;
  5. Tamanho do arquivo;
  6. Mês Dia e Hora da criação do arquivo;
  7. Nome do arquivo.
inode
Um inodes é uma estrutura responsável por conter informações básicas sobre seus arquivos e pastas, como permissões de acesso, identificação dos donos dos arquivos, data e hora do último acesso e alterações, tamanho e o mais importante, os famosos ponteiros para o arquivo em si.

Esquema de permissões

O esquema de permissões usa 10 caracteres, o primeiro identifica o tipo (- arquivo; d diretório; l link; ...) e os outros 9 formam 3 grupos de 3 caracteres que mostram as permissões (r leitura; w escrita; x execução) para o dono, grupo e outros.

Por exemplo, analisando a primeira da saída do comando ls -l acima, referente ao arquivo Modelo-PlanoEnsino.odt. temos:

  • dono possui permissão de leitura e escrita (r w -);
  • grupo possui permissão de leitura (r - -);
  • outros não possuem permissões sobre o arquivo (- - -).

Alteração das permissões de acesso

Comando chmod
Permite alterar as permissões de acesso, pode ser utilizado de dois modos:
  • Formato Octal;
  • Formato Simbólico.

Formato Octal

O formato octal usa três algarismos octal para atribuir permissões ao dono, grupo ou outros, conforme a tabela abaixo:

Octal Binário Permissões
0 000 - - -
1 001 - - x
2 010 - w -
3 011 - w x
4 100 r - -
5 101 r - x
6 110 r w -
7 111 r w x

Exemplo:

chmod 755 arquivo1
Atribui permissão de leitura, escrita e execução (rwx) ao dono, leitura e execução (r-x) ao grupo e leitura e execução (r-x) aos outros.

Formato simbólico

O formato simbólico usa letras e símbolos para indicar as permissões. É composto de três elementos [1]:

  • Alcance das permissões:
    • u Usuário;
    • g Grupo;
    • o Outros.
  • Ação sobre as permissões:
    • + Acrescenta permissões;
    • - Remove permissões;
    • = Atribui permissão explicitamente.
  • Tipo das permissões:
    • r Leitura,
    • w Escrita,
    • x Execução.

Exemplo:

ls -l 
-rwx------ 1 evandro evandro   87475 Jun 11 18:07 netkit2-installer
chmod go+rw netkit2-installer
ls -l 
-rwxr-xr-x 1 evandro evandro   87475 Jun 11 18:07 netkit2-installer
Acrescenta ao grupo e outros (go+) permissões de leitura e execução (rw).

Alterando permissões padrão

Comando umask
Permite alterar o padrão de permissões para arquivos novos a serem criados.

O comando umask usa três algarismos octal que formam uma máscara para as permissões dos novos arquivos e diretórios que serão criados.

Exemplos:

umask 777
Usuário, grupo e outros não terão nenhuma permissão sobre novos arquivos criados. Seria equivalente a chmod 000.
umask 000
Usuário, grupo e outros terão permissão de leitura, escrita e execução sobre novos arquivos criados. Seria equivalente a chmod 777.
umask 022
Usuário terá permissão de leitura, escrita e execução e o grupo e outros terão permissão de leitura e execução sobre novos arquivos criados. Seria equivalente a chmod 755. Este é o modo padrão para criação de arquivos e diretórios no Linux.
Alteração permanente da máscara umask para um usuário
Deve editar o arquivo .profile e redefinir o valor de umask.
Alteração permanente da máscara umask na criação de novos usuários
Deve editar o arquivo /etc/login.defs e redefinir o valor de umask.
  • A mascara 022 é o padrão histórico do umask para o Debian;
  • As máscaras 027 ou 077 são padrões melhores de privacidade.

Modificando o dono e o grupo de um arquivo

Comando chown
Modifica o dono de um arquivo.
chown novo_dono arquivo
Comando chgrp
Modifica o grupo de um arquivo.
chgrp novo_grupo arquivo

Referências

  1. VALLE, O. T. Adminstração de Redes com Linux: Fundamentos e práticas, IFSC, Florianópolis, 2010.

--Evandro.cantu (discussão) 18h21min de 5 de julho de 2015 (BRT)